Wednesday, June 17, 2009

E a vida, fragil e passageira!

Alguns dias atrás quando fiz um post ilustrando um avião, falando sobre a fragilidade da vida diante dos tantos acasos não imaginava o quanto este assunto estaria presente na minha mente e no meu dia a dia.

Em um intervalo de poucos dias três pessoas próximas, com as quais eu tinha diferentes ligações me fizeram pensar sobre a minha vida, talvez pela diferença de vida e nível social me fizeram no mínimo refletir.

O Gerente , uma pessoa humilde amigável e sempre demonstrou profissionalismo mesmo não trabalhando com ele, uma pessoa respeitável, morando longe da família por conseqüência do trabalho, em um belo dia no caminho para o trabalho sente um desconforto ... telefona para esposa no interior e no meio da rápida conversa, não havia mais nada a ser dito, ou como ser dito... rápido demais.

O vida-louca, uma pessoa moldada pela sociedade atual, cresceu no subúrbio de São Paulo, logo aprendeu o caminho das más ações, se a vida era uma droga ele resolveu comercializar a ilícita, o modo de se impor era através da força, do grito, da imposição violenta e por meio desta mesma violência foi ceifado, brutalmente e precocemente, na noite que era seu dia de trabalho.

O zé-ninguém, ele como todo brasileiro ele trabalhou muito e tirou suas folgas, bebeu suas cachaças, fumou seus cigarros brigou e fez as pazes com a esposa, brigou e agradou os filhos, sem muita ambição afinal a vida estava no fim, um dia ao atravessar a rua um atropelamento... uma luta por mais alguns dias, perdida.

Posso dizer que pensei muito, reavaliei meus padrões, meus valores... e decidi mudar muitas coisas na minha vida, achei valido compartilhar aqui e deixar que todos concluam por si.

“ É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanha, porque se você parar para pensar na verdade não há”.

4 comments:

Poeta Mauro Rocha said...

Ola!!Hoje só passei para lhe desejar um ótimo fim de semana.

Um abraço!!

paula barros said...

Zek, também tenho pensado muito sobre a vida, mas não mudei ainda.

Li uma frase recentemente, que dizia mais ou menos assim, ame as pessoas como se fosse o último dia da sua vida, mas estude como se fosse viver eternamente.

Achei muito interessante, porque muitas pessoas esquecem que mesmo dizendo que o futuro não existe, eu já estou vivendo nele a 45 anos, e se não tivesse pensando nele com certeza estaria muito mal.

E cada um vai encontrando os seus caminhos para viver bem o presente, e se o futuro chegar que seja um presente com paz, saúde, harmonia, amores, amizades.....



beijos

Dayane Silva said...

Nao sei como te add no meu blog, queriaa gostei do seuu!humm
Otima semanaa p vc!
Fika na Paz!
Abraços.
Day

Raphael Rap said...

O interessante de se observar quando olhamos para a vida alheia é como a frase do Oscar Wilde

"As nossas tragédias são sempre de uma profunda banalidade para os outros"

E o contrário também é válido...