Wednesday, July 8, 2009

Mais um

Se eu pudesse escolher eu hoje gostaria de ser "mais um", com minha individualidade que faz ser apenas a pequena parte de um todo, de algo maior. Mais um blogueiro que escreve as coisas que pensa e as joga na rede juntamente com milhares de outros textos, imagens e sons e talvez alguém leia.

No meu trabalho mais um funcionário fazendo sua parte focado unicamente em sua rotina, ansioso a espera do almoço e no período da tarde esperando a hora de ir embora, bater o cartão respirar fundo e ir para casa sabendo que somente vai voltar no outro dia no horário do expediente.

No caminho nada de diferente, mais um no coletivo a ler seu livro, perscrutando o universo alheio a cada pagina e sequer vendo o caminho passar, como se aquele espaço fosse único e singular ... mesmo tendo olhos curiosos a teimosamente dividir a fração daquele universo.

Mais um que vai se casar e ter filhos, ler o jornal de domingo e deixar os dias passar como um imenso feitiço do tempo em que tudo se repete e você se percebe como um mero ator que estará no mesmo palco, no mesmo cenário e com a mesma platéia, representando o mesmo ato.

Se eu pudesse riscaria do meu vocabulário a palavra " híbrido " , seus derivados e sinônimos como " singular" e " único " também seriam limados da minha existência, não haveria mais ironia e a vida então seria menos paradoxal ... seria normal afinal seria sempre igual, alguém aí deve achar estranho ... mas não há nada de mal, sendo mais “ alguém” normal.

2 comments:

paula barros said...

As vezes me sinto assim....as vezes acredito, e até já li sobre isso, quanto mais intelectualizado, mais crítico, parece que ficamos mais distantes das emoções, do olho no olho, de ouvir o outro, de falar com o coração...de ser apenas...sem pensar muito, sem questionar, sem ver o outro lado da moeda....

Zek, seu texto me levou por esse pensamento, nem sei se tem algo a ver, mais é isso.

beijo

Raphael Rap said...

Esse é um fenômeno estranho. Tem muita gente que considera a rotina um mal. A conformação algo a se evitar. Oras, se tratamos sempre de liberdade, qual é o problema nessas escolhas?

Me lembrei da música do Chico:

"Todo dia ela faz tudo sempre igual, me acorda às seis horas da manhã (...)"