Sunday, May 11, 2008

O inicio .......................

Esse certamente não será o diário a ser lido pelo coro dos contentes.


APRESENTAÇÃO.


Se você faz parte do coro dos contentes, aqui há um texto para você refletir. Se você é um cristão da geração extravagante que pensa que dos seus lábios saem fogo eu também já fui........ Ainda se você pensa que irá caminhar sobre as águas, essa era uma das minhas certezas mais contundentes, mas enfim ..... um dia eu acordei e gerei aos poucos o que esse blog tem a finalidade de contar, a realidade ............ ainda dá tempo de desistir se você quiser continuar como um dia eu estava ........


“Olha lá quem vem do lado oposto, vem sem gosto de viver”
“Olha lá que, acha que perder é ser menor na vida”
“Olha lá quem sempre quer vitória e perde a gloria de chorar”

“Eu que já não quero mais, ser o vencedor”
“Levo a vida devagar para não faltar amor”


Um dia eu “cai na real”, certo ??? aos poucos, foi um processo ..... mas o fato é que um dia eu abri os meus olhos e percebi quem realmente eu sou, quem eu pensava que era não correspondia com a realidade e descobri que nunca saí do lugar. A sensação não foi das melhores, eu simplesmente descobri que esse cara desastrado, meio estranho, que parece uma coisa que não é, que mal suporta seu próprio reflexo no espelho, incapaz de chegar a lugar algum sou eu......., as pessoas projetam a imagem do sucesso a min mas é a imagem do fracasso que se reflete e se apresenta a min a cada vez que me olho no espelho, e dele não há como sair, nem fugir , só encarar....

“Vê teus olhos no espelho, por fora um herói, por dentro um ladrão.”
“Vê só resta em você uns poucos amigos, motivos em vão.”

O meu fracasso é diferente, ambíguo, até mesmo difícil para a maioria das pessoas entenderem, eu faço coisas que ninguém faz, tenho idéias que ninguém tem talvez até habilidades que outras pessoas não tem ou demorem mais para alcançar, mas o que todo mundo faz... isso eu não faço... o que é trivial para todo mundo, é colossal para min. Há coisas que é comum como se viesse na pacote de habilidades de todo ser humano, mas sabe-se lá o porque taí a minha frustração, meu desespero, minha vontade sumir, de correr ....... meus pesadelos.

Eu não vou aqui me fazer de coitado, acho que a culpa é minha “ os anos se passaram enquanto eu dormia..” esse foi meu erro, dormir demais, sonhar demais e esperar demais... sem saber ao certo o que ou quem eu estava esperando.

Um dia houve um fogo queimando em seu peito... será mesmo? Um dia uma pregação foi tão envolvente que me fez chorar, levantar as mãos e gritar, como se gritasse com meu coração, com minha alma ....hoje não é nem um sussurro. E de quem é a culpa? de ninguém , “ o que foi prometido ninguém prometeu , nem foi tempo perdido”.
Um dia eu achei que iria mudar o mundo, achei que tinha uma missão e essa seria minha vida, achei que mares iriam se abrir, jarros de água se tornariam em vinho e cegos veriam...... mal sabia que o cego era eu, que quem não via era eu e o paralítico que precisava andar era eu ... mas o importante é que meus olhos foram abertos, aos poucos, com algumas decepções, duras penas, algumas lagrimas e muitos tropeços, mas enfim o paralítico criou força nas pernas e levantou...... agora é só caminhar e o resultado não será imediato, quem nunca viu nada se choca com a paisagem a sua frete, mas o que fazer ??? fechar os olhos ? fingir que não está lá? Copiar um avestruz ? não .

Se é para doer que doa de uma vez, se é para sofrer que sofra de uma vez, se é para cair que eu me arrebente no chão, para que depois eu levante e ande novamente mais preparado para não tropeçar e se cair, eu saberei o que fazer, mas voltar eu não volto e meus olhos eu não fecho mais .... eu acordei, me encontrei e não gostei do que achei. Mas faz parte do jogo uma derrota para que depois venha algo maior, a vitória .

Um dia eu achei que minha vida seria sobrenatural, e eu me esqueci de ser normal, de ser natural .... eu olhava para cima e esqueci de prestar atenção para onde meus pés estavam indo, deixei que me levassem puxado pelo som de um berrante como se eu fosse um boi caminhando junto com uma boiada.

Conselho eu não dou e exemplo eu não sou..... agora eu decide ser apenas eu mesmo e levar minha vida da maneira mais simples que eu puder, da maneira mais simples que eu conseguir viver, agora eu não quero nada demais, só o que minhas mãos alcançarem.